Em pauta: Saúde Corporativa

em-pauta-saude-corporativa

A Saúde Corporativa se tornou um dos assuntos mais recorrentes entre os gestores. O aumento da ocorrência de doenças crônicas como hipertensão, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, problemas respiratórios e obesidade fazem com que os gastos com o plano de saúde dos funcionários aumentem e a produtividade diminua.

A mudança demográfica, que se iniciou nos países da América Latina nos anos 60, faz com que a longevidade populacional aumenta a cada ano. De acordo com projeções do IBGE, a população acima de 65 anos vai quadruplicar em cerca de 40 anos. Isso se torna um obstáculo para os gestores, visto que essa parcela da população tem maior tendência a ter doenças crónicas.

O aumento dessas doenças pode ser relacionado a alguns fatores de risco como sedentarismo, má alimentação, estresse, consumo de álcool e tabagismo. Ademais, o trabalho pode ser um potencializador desses fatores.

Como o trabalho pode potencializar os fatores de risco de doenças crônicas

O discurso da nova era em relação a gestão de pessoal é promover hábitos saudáveis e qualidade de vida entre os colaboradores, porém, apesar de ser um discurso bem-intencionado em teoria, poucas ações são executadas na prática.

De acordo com uma pesquisa feita pela ABRH-Brasil e a Aliança para a Saúde Populacional, 51% das empresas entrevistadas não tem programas de gerenciamento de pessoas com doenças crônicas.

Cargas horárias elevadas, horários de almoço reduzidos e cobranças em excesso aumentam o estresse e a má alimentação, além de contribuir para o humor depressivo. Somado a isso tem-se um incentivo à competividade predatória que gera um ambiente hostil e desarmônico.

Os funcionários são tratados como máquinas, e são avaliados quantitativamente e não por sua qualidade. A saúde só é levada em conta quando o problema está afetando a produção, e somente nesse ponto medidas são tomadas.

Uma empresa deve ser vista como um ser vivo e cada funcionário como um órgão. Quando um órgão adoece, todo o sistema é prejudicado. Então, o que deve ser feito são medidas para evitar esse adoecimento

Como melhorar a Saúde Corporativa

O primeiro passo para a melhora da saúde corporativa é conhecer os funcionários. Iniciar uma pesquisa e descobrir quais seus hábitos, como se sentem dentro da empresa e quais sugestões tem a dar para construir um ambiente mais saudável.

Após isso, devem ser feitas ações que visem a prevenção dessas doenças. Colocar frutas no refeitório, incentivar a prática de atividades físicas e promover relações saudáveis entre os funcionários, são algumas atitudes que melhoram a saúde física, aumentam a qualidade de vida e reduzem o estresse.

Quando já existem casos de doenças crônicas na equipe é necessário implantar programas de gerenciamento direcionados a essa parcela específica da equipe, melhorando as suas condições de trabalho.

O gestor deve ser o principal exemplo para a equipe. É necessário conversar, conhecer, incentivar e ouvir que eles têm a dizer. O gestor deve se tornar um líder multifocal preocupado com a saúde dos funcionários, tanto física como emocional.

O curso de Analista Avançado em Inteligência Emocional e Comportamento Humano auxilia no desenvolvimento de técnicas para conhecer melhor a equipe, além de formar líderes capazes de lidar com as emoções e com maior flexibilidade intelectual e dinamismo para encontrar soluções.

Um bom gestor é aquele que consegue enxergar além do que os olhos podem ver e conhece sua equipe tão bem quanto a palma de sua mão.

Para saber mais sobre o curso, clique no botão abaixo: