Comunicação não verbal: como isso influencia na carreira?

comunicacao-nao-verbal-como-isso-influencia-na-carreira

Passamos muito tempo preocupados com o que podemos ou não falar no trabalho. Isso faz com que nos esqueçamos de um outro fator igualmente importante: a comunicação não verbal.

Mas, você sabe como se dá a comunicação não verbal? Trata-se de uma maneira de interagir com os outros sem o uso da fala. As nossas roupas, gestos e expressões faciais estão, o tempo todo, enviando mensagens àqueles que nos rodeiam.

Talvez isso explique o fato de você “não ir com a cara” de alguém, sem ao menos ter conversado com essa pessoa. Isso depende do que ela “disse” a você por meio da linguagem não verbal.

Se essa comunicação é capaz de causar impressões (boas ou más) e enviar mensagens, então, é preciso atentar para ela no ambiente de trabalho, correto? A boa notícia é que é possível educar o corpo para que os sinais enviados sejam condizentes com a nossa conduta.

Entretanto, nem todos nascem sabendo lidar com suas próprias expressões corporais. Trata-se de algo que todos nós podemos aprender. E se você está perguntando por que deveria fazê-lo, listamos abaixo alguns benefícios que o bom uso da comunicação não verbal pode trazer para a sua vida profissional. Confira.

1. Vínculos de confiança

Se o que você fala condiz com o que as suas expressões demonstram, você tende a ser visto como uma pessoa sincera e coerente. Essa característica é capaz de aproximá-lo de colegas de trabalho e, até mesmo, subordinados.

Muitas vezes, é muito difícil nos conscientizarmos desses nossos movimentos. A ajuda profissional de um coach é a chave para nos ajudar a manter corpo e mente mais conectados e sincronizados.

Você confiaria totalmente em uma pessoa que fala com você sem olhar nos olhos? Ou que anda de um lado para o outro sem parar? Provavelmente, não. Esses são apenas dois exemplos de linguagem não verbal que transmitem insegurança, afinal, o interlocutor nunca tem certeza se está sendo ouvido ou não.

2. Segurança

E por falar em segurança, o domínio da comunicação não verbal torna você uma pessoa mais segura. Muitas vezes, o nervosismo faz com que balancemos as pernas, roamos as unhas ou exageremos na gesticulação. Todo esse movimento desvia o foco dos seus ouvintes do principal, que é a sua fala. Além disso, ele ainda pode passar a imagem de uma pessoa ansiosa, insegura ou que não está muito certa do assunto do qual está falando.

Portanto, procure relaxar e respirar corretamente enquanto está falando (ou ouvindo). Se você aprender a controlar o seu corpo, a tendência é que todos o enxerguem como uma pessoa calma e segura. E nada melhor que essa imagem para fazer com que você também se sinta de tal forma.

Passar por um processo de coaching ajuda no desenvolvimento profissional e pessoal do indivíduo, por meio do bom uso de qualidades que ele já possui. E o fato de sentir-se seguro entra no pacote. Assim, é possível entrar em um ciclo no qual a pessoa se sente segura porque tem consciência dos seus gestos e sabe controlar seu corpo porque se sente segura.

3. Persuasão

A sua voz e o seu corpo dizendo a mesma coisa indicam que você tem plena certeza do que está falando. E acreditar em seu próprio discurso é o primeiro passo para que outros também o façam.

Como convencer alguém de algo que nem você mesmo se convenceu ainda? Difícil, não? E é essa ideia que uma linguagem não verbal inadequada passa.

Você precisa tomar cuidado para que o seu próprio corpo não lhe “traia”. Mas nem sempre é possível conseguir isso sozinho. Você sabe qual a melhor maneira de aprender a lidar com a linguagem não verbal? Por meio de um processo de coaching.

O coach é um profissional que pode ajudá-lo a desenvolver-se tanto em âmbito profissional quanto pessoal. Com ele, você vai aprender a destacar seus pontos fortes e a se comunicar melhor com o mundo ao seu redor. Com esse auxílio, fica mais fácil entender quais as mudanças e adaptações necessárias.

Agora que você já entende como a comunicação não verbal influencia na sua carreira, que tal descobrir quando é a hora certa de contratar um coaching?