Mudança de hábitos: por que é tão difícil realizá-la?

mudanca-de-habitos-por-que-e-tao-dificil-realiza-la
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Contact us

Acompanhe este texto e conheça alguns fatores que ajudam na mudança de hábitos. Saiba também como evitar hábitos ruins.

Todos os dias, é comum repetirmos hábitos ruins que prejudicam a nossa vida pessoal e profissional, sem que consigamos bloqueá-los. A mudança de hábitos é necessária, mas dificilmente implementada pelas pessoas.

Felizmente, hoje se conhece as causas desse tipo de comportamento que pode prejudicar a nossa qualidade de vida e carreira profissional.

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça alguns fatores que ajudam a consolidar os hábitos. Saiba também como evitá-los.

O piloto automático

Você já se questionou sobre quantas coisas faz voluntariamente? Se começar a contabilizar isso, certamente vai perceber que, na maior parte do tempo, executa atividades sem mesmo pensar sobre.

Podemos pensar em uma situação simples do dia a dia. Imagine que você acaba de sair de casa e, já na rua, decide voltar pois não lembra se realmente trancou a porta. Esse é um bom exemplo de uma ocasião em que você praticou uma ação no piloto automático, sem notar o que estava fazendo.

Essas situações, quando realizadas inúmeras vezes, vão se consolidando no corpo e na mente, formando o hábito.

Os paradigmas

Paradigmas são pensamentos que estão no nosso subconsciente, mas que são influenciados e reforçados pelo ambiente em que vivemos e pelas pessoas que estão a nossa volta. Os paradigmas são como uma verdade que tem alta possibilidade de se tornar um hábito.

Esse tipo de pensamento pode estar repleto de vícios e preconceitos. Por exemplo, um funcionário de uma empresa é comumente conhecido como preguiçoso. Porém, quando o analisamos mais de perto, seu desempenho é, no mínimo, satisfatório, quando não é muito bem feito.

Por conta desse aspecto equivocado dos paradigmas, estes devem ser quebrados. E quando os analisamos, é possível identificar hábitos nocivos.

A busca pela aceitação

As pessoas que nos cercam são capazes de influenciar nossas atitudes. Ainda mais porque estamos inseridos num processo de aceitação e rejeição o tempo inteiro.

Por exemplo, se você se veste bem, torna-se aceito. Se você se veste mal, recebe olhares de reprovação. Nesse sentido, a busca pela aceitação pode consolidar hábitos.

O processo de mudança de hábito

Diante do que vimos sobre os aspectos que moldam nossos hábitos e considerando que eles podem ser ruins, é preciso buscar uma mudança.

Pensando nisso, o famoso escritor Charles Duhigg desenvolveu uma técnica para quebrar hábitos ruins. Segundo ele, hábitos são formados por três elementos básicos:

  • gatilho;
  • rotina;
  • recompensa.

O gatilho diz respeito à capacidade que temos de executar um hábito já enraizado socialmente a partir de uma atitude, um tempo ou um local, como quando você abre seu e-mail assim que o computador liga. A rotina é o hábito automático, exercitado frequentemente e há um certo tempo. Recompensa é o fator que mantém o hábito funcionando, uma vez que é por meio do prestígio social ou satisfação pessoal que fazemos o que já temos programado.

Para mudar de hábito, de acordo com Duhigg é preciso entender quais são os gatilhos e as recompensas e buscar uma rotina saudável.

Essas foram algumas informações para realizar mudança de hábitos. Uma habilidade que pode ajudar muito na redefinição de hábitos é a inteligência emocional. Por meio dela, é possível perceber e saber administrar suas próprias emoções, refletir sobre elas e colocar suas conclusões em prática, evitando hábitos ruins.

Quais são os hábitos que você gostaria de não ter mais? Conte para a gente deixando um comentário neste post!

O que você acha de não perder nenhum artigo do Instituto Menthes? Assine a nossa newsletter para receber nossos conteúdos periodicamente!