Os 5 pecados capitais da gestão de equipes

os-5-pecados-capitais-da-gestao-de-equipes
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Linkedin
Contact us

Conheça as principais falhas cometidas por líderes durante a gestão de equipes e saiba como evitá-las. Acompanhe a leitura.

A liderança em qualquer empresa moderna requer muita habilidade para relacionar-se bem com os outros, além de maturidade pessoal e profissional.

Assim, a capacidade de se avaliar, a consistência de suas considerações e a clareza com que planeja e delega missões são essenciais para o bom desempenho do líder.

Por outro lado, algumas falhas são imperdoáveis, pelo resultado desastroso que podem provocar no exercício da liderança.

Acompanhe este post e conheça os 5 pecados capitais da gestão de equipes que você deve se esforçar para não cometer.

1. Não admitir as próprias falhas

A avaliação que o líder faz de si mesmo não pode pressupor sua infalibilidade. Desconsiderar as próprias falhas constitui uma fragilidade na liderança que dificulta qualquer gestão.

Um líder, bom ou mau, é sempre visado por sua equipe. Seus passos são observados nos mínimos detalhes e questionados também. Se não ocorrem manifestações de reconhecimento de suas próprias falhas, fica difícil construir uma relação de confiança com a liderança.

Por outro lado, reconhecer as próprias falhas demonstra maturidade profissional e respeito à própria equipe. Existe um componente universal de empatia quando se adota uma posição assim.

2. Definir metas sem clareza

O primeiro princípio para um eficaz cumprimento de uma missão é saber exatamente qual é a missão. Não há como manter o foco em algo impreciso.

Assim, uma meta sem clareza provavelmente conduzirá ao insucesso, pois as possibilidades de desvio são muitas.

Quando se estabelece uma meta ela deve estar bem clara para todos os envolvidos. Não pode haver dúvidas. Além disso, cabe à liderança conferir se todos entenderam bem aonde devem chegar.

3. Má definição da missão, visão e valores

A tríade missão, visão de futuro e valores de uma empresa refletem toda a filosofia dessa empresa, aonde ela pretende chegar e pautada em quais princípios seguirá esse caminho. Não pode haver descompasso entre a prática do dia a dia e essas três referências.

A liderança da empresa deve esforçar-se por manter vivos esses parâmetros da gestão e cuidar para que suas ações e determinações estejam afinadas com tais referências. Missão, visão de futuro e valores de uma empresa constituem um fator de integração. Com elas todos ficam mais seguros pois sabem para onde estão indo e o que deve ser preservado.

4. Ser incoerente

A incoerência pode ser o principal fator de perda da liderança. Não é possível confiar e seguir os passos de um líder que aponta num sentido, mas segue em outro.

O grande erro é não manter a consistência entre o discurso e a prática. Assim, é um cuidado permanente de autoavaliação verificar a sintonia das ações com as afirmações feitas, os planos apontados ou as diretrizes definidas.

5. Má avaliação da capacidade da equipe

Um cuidado que deve ser tomado pelo líder se refere à avaliação da capacidade de realização da equipe. Levantar uma expectativa acima do potencial de seu pessoal e depois responsabilizá-lo pelo insucesso ou pela meta não atingida pode ser muito frustrante para a equipe.

Neste caso, o próprio líder está construindo um fosso entre ele mesmo e seus colaboradores. A intenção pode ser boa, mas o resultado é muito ruim.

Se você gostou deste post sobre gestão de equipes, acompanhe a nossa próxima leitura:

 

Gostaria de receber artigos como este no seu e-mail? Então assine a nossa newsletter abaixo!